Paty do Alferes

A visita que fiz a Paty do Alferes foi curta e feita em uma manhã, onde conheci o Museu da Cachaça, o centrinho e a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição.

Apesar de já ter estado na cidade em outras ocasiões, foi a primeira vez que fui com olhar de blogueiro!

Então, vamos lá! O passeio por Paty combina perfeitamente com uma Viagem que inclua Miguel Pereira e Vassouras, num mesmo fim de semana, ou melhor ainda, num feriado!

Em Paty do Alferes, nasceu um brasileiro ilustre, Osório Duque Estrada (1870-1927), filho e afilhado de militares, foi um poeta e escritor brasileiro, eleito em 1915, para a cadeira 17, da Academia Brasileira de Letras, é dele a letra do Hino Nacional Brasileiro.

IMG_3503
Museu da Cachaça

Paty do Alferes passou a fazer parte do Caminho Novo, que ligava Minas Gerais ao Rio de Janeiro, por volta de 1700. Este caminho passou a substituir o Caminho Antigo, que terminava em Parati. Isso fez a cidade se desenvolver rapidamente, no século XVIII.

Apesar de ser a menor das três cidades da região, em Paty ficavam importantes fazendas, enquanto Vassouras se desenvolveu mais urbanisticamente. Como era basicamente rural houve grande necessidade de mão de obra o que acabou por levar muitos escravos africanos para a região. Em 1838, houve uma fuga em massa de escravos o que levou pânico entre os fazendeiros. A revolta foi duramente reprimida pela Guarda Nacional.

IMG_3494
Pórtico de Paty do Alferes

A riqueza do Ciclo do Café é citada em antigos e importantes relatos de viajantes, cientistas e estudiosos que passaram por Paty do Alferes nessa época.

Com o esgotamento do solo, a nobreza rural empobreceu e emigrou. Só depois com a chegada de imigrantes italianos, alemães e japoneses, que introduziram novas técnicas agrícolas na pecuária leiteira e produção de laticínios, houve a revitalização da economia regional.

VIAJA DAQUI ou O que fazer em Paty do Alferes.

Como disse, minha visita a Paty durou uma manhã e foi apenas superficial.

MUSEU DA CACHAÇA

Comece pelo Museu da Cachaça de Paty. Ele é o primeiro do gênero, no Brasil. O passeio custa só R$1,50 com direito a degustação, já logo depois do Café da Manhã, hehe…. Pequeno e interessante! Tipo de Museu que deveria se multiplicar pelo Brasil com os mais diversos temas como cangaço, indígenas, escravidão, biografias, samba, forró e infinitos temas. Museu = Valorizar a Cultura!!! Concorda?

Museu da Cachaça

IGREJA DA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

Após o Museu, visite a Igreja da Matriz de Nossa Senhora da Conceição. Eu parei o carro, no centrinho da cidade, e fui a pé. Foi interessante porque, no centrinho temos belas Palmeiras e o caminho até a Igreja passa por alguns prédios históricos, de estilo colonial, também subimos por uma bela escadaria, mas, é uma boa caminhada. Se preferir vá de carro até a Igreja, se der sorte estará aberta!

A Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição de Paty do Alferes é um monumento arquitetônico profundamente representativo do mais importante período histórico da região. Foi tombada em 1973 pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.

Construída em 1840, em estilo colonial com estruturas em madeira e paredes frontais de pau a pique. Seu interior é decorado com importantes peças de mobiliário e ícones, tais como as imagens de Nossa Senhora da Conceição e de Nossa Senhora do Rosário, ambas do século XIX, que, ainda hoje, adornam os altares. Que pena que peguei fechada!

IMG_3548IMG_3550IMG_3551

IMG_3556
Matriz de Nossa Senhora da Conceição

Uma curiosidade, em Paty, é que haviam muitos Motoqueiros de Trilhas pela cidade, muitos mesmo. Pela rua víamos placas indicativas para as trilhas e isso foi bem interessante.

IMG_3544

Centro de Paty

IMG_3561
Trilheiros! Eram muitos na cidade.

Dois locais que gostaria de ver, mas que não deu, foram o Caminho do Imperador (aqui), que segundo informações dos locais fica um pouco afastado e é um lugar para caminhadas. Também, a Aldeia de Arcozelo (aqui), que era a antiga Fazenda Freguesia, onde ocorreu a revolta de escravos da região, que segundo informações está mal preservada, mas, como não vi, não posso dar uma palavra final sobre se vale ou não a pena!

Em Paty, uma famosa festa ocorre todo ano, com um público majoritariamente de jovens, é a Festa do Tomate (aqui), sempre no feriado de Corpus Christi.

O que está esperando? Vem pra cá! Vem!!!

Veja outros posts que têm tudo a ver com Paty do Alferes clicando nos links abaixo:

VASSOURAS

MIGUEL PEREIRA

Outros posts do Estado do Rio de Janeiro:

ARRAIAL DO CABO em UM DIA por STEPHANYE MACEDO

ILHA GRANDE por HERBETH SILVA

Confere também os Posts sobre a Cidade do Rio de Janeiro nos links abaixo:

PÃO DE AÇÚCAR

CORCOVADO e CRISTO REDENTOR

FEIRA DO RIO ANTIGO

CONFEITARIA COLOMBO

MUSEU HISTÓRICO NACIONAL

MUSEU DE BELAS ARTES

CINELÂNDIA

LARGO e RUA DA CARIOCA

PRAÇA TIRADENTES

MUSEU DA SELEÇÃO BRASILEIRA

LANCHA MARINA DA GLÓRIA

LANCHA BARRA DA TIJUCA

RIO DE JANEIRO por AMANDA BENTO

Gostou? Deixa suas dicas, dúvidas, críticas ou elogios nos comentários, por favor. Obrigado de coração pela visita no Viaja Daqui.

8 comentários em “Paty do Alferes

  1. Ah, Thereza!
    Que bom ver sua participação, aqui!!! 🙂
    Eu fui num domingo e estranhei, a Igreja estar fechada! Que pena saber que o motivo é esse!
    Uma pena ver um dos poucos e principal ponto turístico de cidade, fechado por um motivo desse!
    Vamos ver se haverá uma mobilização para resolver, logo, essa questão!
    Beijo e Obrigado pelo comentário,
    Vladimir.

    Curtir

  2. A foto do pórtico é de Paty, não de Miguel como diz a foto, o de Miguel fica bem no fim da subida da serra na entrada de governador Portela.
    A foto dos trilheiros é em Miguel Pereira.
    Já o caminho do imperador, não é um caminho de metros, são alguns quilômetros que ligam Paty e Petrópolis, desde o início até o fim já no Bingen devem ser mais de 40km, pra mim isso não é caminhada.
    O pedaço descrito como caminhada, é o pedaço onde ocorre anualmente a caminhada franciscana, que se inicia já no município de Miguel e vai até o ponto da pedra do imperador e volta ao ponto de encontro.
    Não é centrinho, pois é um município emancipado!
    A aldeia está desmoronando, pois é de responsabilidade do Ministério da Cultura, assim como a Igreja é responsabilidade do IPHAN.
    Nos pontos de encontro para a largada das trilhas não há nada para ver, só a largada e a chegada dos participantes. Geralmente ocorrem em locais públicos. As trilhas não acontecem simultaneamente.
    Já as fazendas, que ainda aceitam visitações são ótimas pedidas para quem quer realmente conhecer a cidade e não sair publicando notícias superficiais sobre o município

    Curtir

  3. Oi, Bruna!
    Obrigado pelo comentário. No início da citação sobre as atrações eu disse que visitei Paty de forma superficial. Mas, vamos lá:
    1) Com certeza na hora de escrever o nome do Pórtico saiu “Miguel Pereira”. Já corrigi. Obrigado.
    2) A Foto dos Trilheiros que Você comenta é a que tem as Motos? Se for isso, tenho certeza absoluta que são em Paty do Alferes. Eram muitos quando fui. Você está errada.
    3) Em nenhum momento disse que o Caminho do Imperador é de metros, mas um lugar para “Caminhadas”. Se para Você uma trilha de 40km sempre tem que ser feita inteira é uma questão pessoal sua. Pra mim e a maioria das Pessoas andar uns 2 ou 3 km pode ser mais do que suficiente. A dica foi dada pelos próprios locais de Paty do Alferes. Se for ler o texto de novo verá que escrevo “Segundo Informações”. São informações dos moradores e moradoras de Paty, logo, gente que eu conheci e que falaram comigo pessoalmente e sempre muito simpáticos. Já Você eu não conheço, não sei onde mora, só sei que chegou no meu post cheia de pedras na mão. Enquanto o que eu procuro é apenas divulgar e incentivar o turismo na Cidade, mesmo, tendo passado apenas uma manhã por lá.
    4) Se ler o texto “com atenção” verá que digo que a Aldeia Arcozelo está mal preservada, então, Você só repetiu o que eu disse no post.
    5) Deixo claro no texto que conheci a cidade de Passagem até pelo tamanho diminuto do post. Se Você quiser preparar um texto detalhado de Paty do Alferes com fotos originais e todos os detalhes pode mandar pra mim que publico seu post com prazer e te dou os créditos.
    6) Já que conhece bem a região, seria legal dar uma olhada nos posts de Vassouras e Miguel Pereira. Estes, são dois posts bem mais detalhados que preparei.

    Bom! Apesar de agradecer sua observação para a correção na foto do Pórtico, todo o resto de seu texto é de alguém que só procurou criticar e encontrar erros onde não tem!

    Obrigado,
    Vladimir.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s