A Missa do Botafumeiro em Santiago de Compostela

Nosso intuito em Santiago de Compostela era visitar a Catedral de Santiago, no dia e hora da Missa dos Peregrinos, onde há a “apresentação” do Botafumeiro.

Muita gente acha que o Botafumeiro acontece em vários horários e dias, mas a única Missa que tem o Botafumeiro com toda a certeza é a Missa das 19h30, das sextas-feiras. ATUALIZAÇÃO: Confirme na página oficial do Botafumeiro, porque foi suspenso às sextas por tempo indeterminado, mas já podem ter mudado de novo, clica aqui e veja quando tem o BOTAFUMEIRO.

img_1789
O Botafumeiro

Nesse post Você vai encontrar muito da História de São Tiago e o que ele tem a ver com a cidade e a Espanha. As pesquisas foram baseadas em sites de História e no Wikipedia. Muitos criticam este site, mas considero ele excelente em vários momentos. A facilidade que ele fornece para ler sobre qualquer assunto instantaneamente, no computador ou celular, não tem preço. Ontem mesmo resolvi ler sobre a História da França, abri o aplicativo do meu celular e passei horas lendo sobre o assunto, sem precisar sair do sofá ou gastar um tostão. Outro dia foi sobre a Guerra dos Trinta Anos.

Sou um grande fã do Caminho de Santiago, apesar de nunca tê-lo feito, já li muito e assisti ao filme O Caminho, de Emilio Estevez, umas cinco vezes! Nem é um grande filme, o que vale é que tem muitas mensagens bacanas.

Conhecemos Santiago de Compostela em um dia cansativo e sensacional de bate-volta. Foi assim: Braga – Guimarães – Barcelos – Viana do Castelo – Santiago de Compostela – Braga. Cansa só de escrever! Porém, um dia que deu tudo certo. Saímos às 10h e chegamos às 23h.

img_1731

img_1738
Atravessando a Fronteira e seguindo Viagem

Nossa chegada a Santiago foi às 18h e fiquei logo impressionado com a quantidade de gente na entrada do Centro Histórico. Muitos bares, restaurantes e movimento de turistas, muito movimento mesmo. Surpreendeu. O Centro Histórico de Santiago faz parte do Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO.

Caminhamos pelo Centro Histórico até alcançar a Catedral. No caminho víamos muitos Peregrinos que vinham alcançando a cidade naquele momento. Demais!

Às 19h30 de uma sexta-feira, estávamos a postos para assistir a Missa que tem o Botafumeiro com certeza. E que energia havia no local com os Peregrinos misturados aos Turistas! A expectativa das pessoas fica lá em cima, um astral excelente! E minha Tia Marília com o livrinho que havia levado do Brasil na mão, só mostrando pra gente que era a mesma missa que era rezada no mundo inteiro, nas sextas à noite.

img_1742

img_1745
A Catedral de Santiago em obras

Quando o Botafumeiro começa a balançar pela Catedral a gente fica sem saber se assiste, tira foto, filma ou baba! Eu fiz um pouco de cada coisa, mas fica sabendo que o momento do Botafumeiro é curto. Eles balançam aquele imenso defumador, ops Botafumeiro, e quando ele começa a atingir o topo da Catedral, já começam a parar! Deve durar menos de dois minutos, mas o povo (turistas) e os peregrinos adoram.

Após a Missa paramos num dos muitos, vários, diversos restaurantes das ruazinhas de Santiago para Jantar. Todo mundo bebeu cerveja, menos quem dirigia, eu. Na ida para Santiago, passamos por Vigo que é belíssima da estrada, pensamos em para lá para jantar, na volta, mas como a fome já era grande acabamos jantando em Santiago mesmo. Se um dia for repetir esse roteiro vou incluir uma parada em Vigo.

Nunca ouviu falar no Botafumeiro? Eu explico! 🙂

Botafumeiro

É o maior incensário do mundo.

O Botafumeiro é um enorme incensário de latão banhado a prata, que pesa 62 kg vazio e mede 1,60 m de altura.

A corda que o suspende, presa ao cimo do cruzeiro da catedral, mede 65 metros, tem 5 cm de diâmetro e pesa 90 kg. Anteriormente as cordas eram feitas de cânhamo ou de esparto. O botafumeiro é enchido com cerca de 40 kg de carvão e incenso e é atado à corda. É elevado e movido ao longo da nave mediante um mecanismo de roldanas. Para tal, um grupo de oito homens, os chamados “tiraboleiros”, começam por empurrá-lo para pô-lo em movimento e depois puxam um cabo preso à corda para ir mantendo a velocidade pendular.

img_1763

img_1765img_1766img_1768img_1769img_1770img_1773

img_1776
Sensacional

Segundo a tradição, o uso do incensário na catedral remonta ao século XI, tendo como objetivo perfumar a igreja e eliminar o mau cheiro que deixavam os peregrinos, suados e sujos, muitos deles doentes. Em 1200, o sistema inicial de roldanas foi substituído por um sistema que permitia o deslocamento lateral. O mecanismo atual foi instalado em 1604. O incensário antigo, feito integralmente em prata, foi roubado pelas tropas de Napoleão em abril de 1809, durante a Guerra Peninsular. Foi substituído pelo atual, fabricado pelo ourives Xosé Losada em 1851.

História de Santiago de Compostela:

Como Santiago não é uma cidade com grande número de atrações, o mais bacana é passear pelo Centro Histórico e conhecer a Catedral, esse post não contém o subtítulo “VIAJA DAQUI ou O que fazer em Santiago de Compostela”.

Abaixo e até o fechamento do post conto um pouco de Informações e História da Cidade e de São Tiago Maior, que foi quem gerou toda essa importância para Santiago de Compostela e a Espanha.

A Cidade está no noroeste da Espanha e é a capital da comunidade da Galiza.

Cidade internacionalmente famosa como um dos destinos de peregrinação cristã mais importantes do mundo, cuja popularidade religiosa, possivelmente, só é superada por Roma e Jerusalém. Ligado a esta tradição, que remonta à fundação da cidade no século IX, destaca-se a Catedral de Santiago de fachada barroca, que alberga o túmulo de Santiago Maior, um dos apóstolos de Jesus Cristo. A visita a esse túmulo marca o fim da peregrinação, cujos percursos, os chamados Caminhos de Santiago ou Via Láctea, se estendem por toda a Europa Ocidental ao longo de milhares de quilometros. Desde 1985 que o seu Centro Histórico está incluído na lista de Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO. Em 1993 foi também incluído nessa lista o Caminho de Santiago.

img_1781img_1782

Conta a estória que, os restos mortais do apóstolo decapitado, em Jerusalém, foram levados para a Galiza. E apesar do seu túmulo ter ficado em local um pouco incerto, foi reencontrado no século IX, por Pelágio que diz ter seguido umas luzes vindas do céu.

Considerado este achado um milagre, o Rei mandou construir uma capela dedicada a Santiago e foi o seu primeiro peregrino. Com os ataques militares, durante vários anos, as igrejas foram destruídas e o túmulo acabou por ser transportado para a atual Catedral, que começou a ser construída em 1075, já que as anteriores igrejas já não conseguiam receber o número cada vez maior de fiéis.

Foram o rei Afonso VI e o primeiro arcebispo da cidade, Diego Gelifez, os maiores impulsionadores das peregrinações de Santiago de Compostela. Começaram a aparecer peregrinos de todos os cantos do mundo e os caminhos começaram a ser delineados até Santiago de Compostela.

Quem visitasse a Catedral e fizesse o Caminho de Santiago tinha direito a absolvição dos seus pecados – outorgado pelo Papa Alexandre III – durante o Ano Jacobeo ou Jubileu (a concessão de indulgências eram iguais às que se obtinham em Roma e Jerusalém). E os que fizessem o Caminho obtinham um documento que lhes dava asilo na cidade. E assim começaram a crescer mercados, dormitórios, hospitais, e tudo mais o que era necessário ao redor da Catedral.

São Tiago Maior

Também chamado Santiago o Grande, Santiago Filho do Trovão, Santiago de Compostela, Tiago filho de Zebedeu e São Tiago Apóstolo o Maior, era um apóstolo que se desconhece sua data de nascimento, foi martirizado em 44 da nossa era. Feito santo e chamado Santiago Maior para o diferenciar de outro discípulo de Jesus de mesmo nome, conhecido como São Tiago Menor e também de Tiago, o Justo, ou Tiago, Irmão do Senhor, sendo esses últimos três possivelmente a mesma pessoa: Tiago, menor; Tiago, o justo; e Tiago, irmão do Senhor.

São Tiago na Bíblia

Segundo o Novo Testamento, Tiago era filho de Zebedeu e Salomé, e irmão do apóstolo São João Evangelista.

img_1747img_1751

Nasceu em Betsaida, Galileia. Tal como o seu pai e o irmão, o apóstolo João, era pescador no Mar da Galileia, onde trabalhava com André e Simão Pedro (Mateus 4:21-22 e Lucas 5:10). Tiago, Pedro e João teriam sido os primeiros a abandonar tudo para seguirem Jesus como seus discípulos (Mateus 17:1 e Mateus 26:37; Lucas 8:51), tendo sido dos seus mais próximos colaboradores, ao participarem na Transfiguração, na Agonia de Cristo no Jardim das Oliveiras. Ele e o irmão eram empresários de sucesso, no ramo da pesca, possuindo uma frota de barcos. Abandonaram tudo para acompanhar Jesus, após o Milagre da Multiplicação dos Peixes.

No evangelho de Mateus, conta-se que a mãe de ambos, Tiago e João, Salomé, em seu orgulho materno, pediu a Jesus que seus dois filhos, Tiago e João, fossem colocados um à direita e outro à esquerda, no Reino de Deus, porém Jesus lhe objetou: “Vós não sabeis o que pedis. Podeis beber o cálice que eu hei de beber?”. Os apóstolos responderam: “Podemos”. “Pois bem, isso é verdade”, concluiu Jesus, “mas dar-vos o primeiro lugar no Reino, isso depende do meu Pai, que está no céu”. Este episódio causou alguma irritação entre os demais apóstolos, pois era uma tentativa óbvia de destacar-se acima do grupo.

img_1790

Segundo Marcos 3:17, Tiago e João são chamados por Jesus como Boanerges, isto é, “Filhos do trovão”. Isto se deu por um fato que caracterizou a índole de ambos: ao chegar Jesus com sua comitiva à terra dos samaritanos, estes lhe interditaram a entrada. João e Tiago viram neste fato uma afronta a Cristo e exprimiram sua indignação com estas palavras: “Queres, Senhor, que mandemos cair fogo do céu sobre esta cidade, para consumi-la?”. Jesus, porém os repreendeu dizendo: “Vós não sabeis de que espírito sois! O Filho do Homem não veio para perder, mas para salvar as almas” (Lucas 9:54).

Segundo a Bíblia foi um dos discípulos mais íntimos de Jesus de Nazaré, já que em várias ocasiões onde Jesus só se fazia acompanhar por três apóstolos, era ele escolhido, junto a Pedro e João. Assim se deu na Transfiguração no Monte Tabor, por ocasião da ressurreição da filha de Jairo e no Jardim das Oliveiras, pouco antes da prisão de Jesus.

Tiago é citado entre os testemunhos da terceira aparição de Cristo após a sua morte e ressurreição, nas margens do lago de Tiberíades.

Pouco mais se sabe acerca de sua vida. A sua última aparição no texto bíblico mais aceito é a de que foi o primeiro apóstolo a morrer e teria sido mandado decapitar por ordem de Herodes Agripa I, rei da Judeia, por volta do ano 44, em Jerusalém. É, aliás, o único apóstolo cuja morte vem narrada na Bíblia, «Ele [Herodes] fez perecer pelo fio da espada Tiago, irmão de João» (Atos 12:1-2).

Santiago e a Espanha

Muitos são os que creem que Santiago tenha visitado a província romana da Hispânia e pregado a doutrina cristã, logo após o episódio de Pentecostes. Na cidade de Saragoza, teria presenciado uma aparição de Maria, mãe de Jesus, que ainda vivia. Tal aparição, em cima de um pilar, originou o culto de Nossa Senhora do Pilar. Devido ao insucesso em evangelizar os pagãos da Península Ibérica, Tiago teria regressado à Judeia, onde foi martirizado. Os locais pelos quais terá passado em Portugal, em vida, incluem Braga, Guimarães e Rates, assim como em vários locais da Galiza, na Espanha.

Apesar de ser pequeno o texto de Tiago na Península Ibérica, existe em muitos locais, relatos longos e detalhados de suas andanças por lá, inclusive falando em detalhes de todo o seu caminho de retorno a Espanha, após a sua morte.

A tumba de Santiago em Compostela

Segundo uma tradição lendária, o seu corpo teria sido então transportado para a Galiza, onde havia buscado de forma contundente a evangelização, e sepultado no lugar de Compostela, que depois foi chamado, em sua honra, Santiago de Compostela. A partida teria acontecido no porto de Jafa, perto de Jerusalém, dentro de uma “arca de pedra”, e o caminho foi de barco e arrastado pelo vento assoprado pelos anjos, atravessou o Mediterrâneo e a Costa Portuguesa, e veio a desembarcar em Padrón. No entanto, obviamente, não há provas que permitam corroborar com exatidão esta lenda a não ser dizer que foi encontrado um túmulo dos tempos primórdios do cristianismo por baixo da Catedral de Compostela, acompanhado de outros dois de cada lado. O que é mais significativo é que num deles tem visível um dos nomes dos dois discípulos de Santiago e que, segundo ela, ajudaram para que essa façanha fosse possível.

img_1798img_1800

Certo é que em 814, na Galiza, um eremita de nome Pelaio, seguindo uma revelação que tivera durante o sono, descobriu um túmulo contendo umas relíquias, e estas foram de imediato veneradas e associadas a Santiago, em virtude da lenda que afirmava que este se havia deslocado à Espanha para dar testemunho de Cristo. Sobre essa tumba viria a ser erguida a referida Catedral de Santiago de Compostela.

Como depois, outra lenda conta que logo depois teria surgido no céu, durante a Batalha de Clavijo, montado a cavalo e espada na mão a apoiar as hostes cristãs contra os mouros, permitindo com esse gesto milagroso a vitória do rei Ramiro I contra estes últimos. Santiago tornou-se o santo patrono de toda a Espanha, da qual fazia parte a Galiza, Leão e Castela e mesmo o reino de Portugal que, nessa altura, ainda estava incluído nessa zona administrativa e era designado como condado Portucalense. Assim o seu santuário, em Santiago de Compostela, tornou-se um dos mais famosos locais de peregrinação do mundo cristão, sobretudo na Idade Média. Mais tarde, nos séculos XVII e XVIII, surge novo impulso dinamizado pelos efeitos da contra-reforma, após o concílio de Trento, em que houve uma vaga massiva de peregrinos que desembarcou nos portos atlânticos para o fazer a pé e a cavalo. O Caminho de Santiago passou por isso a designar um conjunto de rotas, albergues e hospícios dedicados ao santo, que cruzavam a Europa Ocidental e Portugal até Santiago de Compostela, através do Norte de Espanha.

img_1759img_1801

img_1806
Pelegrinos

Ainda hoje, dezenas de milhares de peregrinos se dirigem anualmente a Santiago de Compostela, considerada a terceira cidade mais sagrada no cristianismo depois de Jerusalém e Roma. Chama atenção de que a primeira fica no Oriente, a segunda ao centro, e esta fica muito perto ao extremo mais ocidental da terra cristã, então conhecida como a Finisterra.

Santiago Mata Mouros

De acordo com outras tradições, Santiago teria aparecido miraculosamente em vários combates travados na Espanha durante a Reconquista Cristã, sendo a partir de então apelidado de Matamoros (“Mata-Mouros”). “Santiago y cierra España” foi desde então o grito de guerra dos exércitos de Hispânia.

Mais tarde, o escritor Cervantes registrou, no seu Don Quixote de la Mancha, que “Santiago Mata-Mouros é um dos mais valorosos Santos e Cavaleiros que o Mundo alguma vez teve; foi dado a Espanha por Deus, como seu patrono e para sua protecção.”

Santo Patrono

Tiago, para além de Patrono da Galiza e da Espanha, é também o santo protetor:

  • dos cavaleiros, dos peregrinos, das peregrinações e dos caminhos;
  • do exército espanhol;
  • de inúmeras profissões: camionistas, chapeleiros, fabricantes de peles, tanoeiros, farmacêuticos, alquimistas, veterinários…;
  • do Chile, Guatemala, Nicarágua, Colômbia, Cuba, México, Peru para além de inúmeras localidades ibero-hispanas;
  • é também invocado para a prosperidade das macieiras e outras árvores de fruto e contra o reumatismo.
  • Santo padroeiro dos exploradores.

img_1813img_1812

A História de Santiago e da Cidade são bem interessantes, né? E olha! Vale a pena ir lá conhecer esse local que fica lá no cantinho superior da Espanha! A Finisterra de antigamente, onde acreditavam ser o Fim do Mundo.

Clica aqui e visite a página oficial do BOTAFUMEIRO;

Clica aqui e veja os horários das MISSAS na Catedral de Santiago;

Clica aqui e visite a página oficial da CATEDRAL DE SANTIAGO.

Veja outros posts do VIAJA DAQUI que têm tudo a ver com Santiago nos links abaixo:

BRAGA

GUIMARÃES

PORTO

BARCELOS

VIANA DO CASTELO

ALTO DOURO

Gostou? Deixa suas dicas, dúvidas, críticas ou elogios nos comentários, por favor. Obrigado de coração pela visita no Viaja Daqui.

Anúncios

12 comentários sobre “A Missa do Botafumeiro em Santiago de Compostela

  1. Realmente é emocionante a missa do botafumeiro! Principalmente para quem fez o caminho de Compostela. Sensação de conquista e felicidade, ainda mais com os companheiros de caminho…

    Todo meu planejamento para o caminho foi pensado justamente para chegar nessa missa e, graças a Deus, consegui!

    Parabéns pela belíssima descrição tanto da história quanto da cidade em si. Vale a visita com certeza!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s