Praga é Linda e Simpática

Praga entrou no roteiro da Viagem na rebarba, mas eu já sabia que seria um grande upgrade. O Roteiro que organizei e guiei para um Grupo focava o sul da Alemanha, a Rota Romântica, os Alpes Alemães e a região de Salzburg. Por isso, achei bem viável incluir a capital Tcheca no Roteiro. Deu muito certo.

Praga é uma capital pequena e belíssima e a gente faz quase tudo a pé. Só usamos o transporte público, para chegar no Castelo, voltando a pé morro abaixo.

 

Linda, Simpática e Agradável. Esta é minha definição para a Capital Tcheca, onde meu desejo maior era ver a imagem, que sempre via nas fotos clássicas de Praga: A Igreja Nossa Senhora de Týn por trás dos prédios, vista de cima da Torre da Prefeitura. Desejo realizado e mais uma cidade que vou adorar voltar sempre que puder!

IMG_20170331_123857_752

Se quiser saber apenas sobre as atrações de Praga, vai direto ali embaixo, onde está “Viaja Daqui ou O que fazer em Praga”. Antes, algumas informações locais e um pouco de História.

Praga, apesar de ser uma capital pequena para se conhecer, tem seu Centro Histórico no seleto rol de Patrimônio Mundial da Humanidade da UNESCO!

Praga é a capital e maior cidade da República Tcheca. Situada na margem do rio Vltava – Moldava -, é conhecida como a “Cidade das Cem Cúpulas” e a “Pérola do Oriente“. A cidade de Praga possui um dos mais belos e antigos centros urbanos da Europa, famosa pelo extenso patrimônio arquitetônico e rica vida cultural. É o principal centro econômico e industrial da República Tcheca. Pertencente a região da Boêmia Central (olha a referência à cerveja aí!!!), Praga localiza-se sobre colinas, em ambas as margens do rio Vltava, pouco antes de sua confluência com o rio Elba. O curso sinuoso do rio através da cidade, cheia de belas e antigas pontes, contrasta com a presença imponente do grande Castelo de Praga em Hradcany. O Castelo de Praga está no Guiness Book, como o Maior Castelo do Mundo!!!

img_6858

Praga tem uma área de 496 km² e uma população de 1.300.000 habitantes.

Franz Kakfka, um de seus mais nobres representantes costumava dizer: “Praga não deixa a gente ir embora, esta velha tem garras“.

HISTÓRIA:

Durante milhares de anos, as primitivas praças da moderna Praga foram passagem obrigatória nas rotas comerciais que atravessavam a Europa de norte a sul. Numerosos resquícios paleolíticos e neolíticos atestam a existência de povoações agrícolas entre os anos 5000 e 2700 a.c.

Os celtas estabeleceram povoados nessa região nos séculos IV e III a.c., mas as primeiras notícias de um assentamento permanente em Praga remontam ao século IX, quando, segundo a lenda, a princesa Libuse e seu marido Premysl fundaram a cidade que, governada pela dinastia por eles iniciada, permaneceu no poder entre os séculos IX e XIV. Nessa época, Praga se converteu no núcleo político do reino da Boêmia e num dos mais importantes centros comerciais da Europa medieval.

img_6843

A expansão econômica se refletiu na topografia da cidade que, após a construção, em 1170, da primeira ponte de pedra sobre o rio, ampliou seu perímetro primitivo com a Staré Mesto  – Cidade Antiga. Praga cresceu ainda mais em 1257, com a fundação da Malá Strana – Cidade Pequena, junto às muralhas do castelo de Hradcany, bairro povoado exclusivamente por colonos e comerciantes alemães.

Entre 1346 e 1378, o imperador alemão Carlos IV de Luxemburgo estabeleceu a capital de seu império na cidade, que experimentou novas fases de florescimento em 1348, com a fundação da universidade, e da Nové Mesto – Cidade Nova -, junto à Staré Mesto, e em 1357, com a construção da ponte Carlos.

A rivalidade entre as populações tcheca e alemã, esta integrada pela burguesia e pela alta hierarquia eclesiástica, foi o estopim da insurreição hussita, no século XV. O conflito foi inspirado pelos sermões do reformador protestante Jan Hus e culminou com o que se chamou de “A primeira defenestração de Praga“, em que os dirigentes da cidade foram atirados pelas janelas da sede do governo pelo povo enfurecido.

20160502_140454

Em 1526, a ascensão da dinastia católica dos Habsburgos ao trono boêmio pôs fim ao breve período de paz e prosperidade da cidade. “A segunda defenestração de Praga“, em 1618, e a derrota das tropas tchecas na batalha da montanha Branca, em 1620, precipitaram a eclosão da “Guerra dos Trinta Anos“, uma Guerra entre católicos e protestantes que atingiu boa parte da Europa, durante esse período Praga foi ocupada por saxões e suecos , e trouxe o declínio econômico da cidade, cuja recuperação só ocorreria no século XVIII.

Principal centro dos triunfos que, em 1848, levaram à vitória do nacionalismo tcheco contra a dominação austríaca, Praga tornou-se em 1918 a capital da nova e independente República da Tchecoslováquia. Os pactos de Munique, de 1938, cederam a cidade e o país à Alemanha nazista, até o final da segunda guerra mundial, quando a Tchecoslováquia passou para a órbita da União Soviética. Em 1968 a cidade foi cenário do movimento popular que se tornou conhecido como Primavera de Praga, que resultou na invasão das tropas do Pacto de Varsóvia. As manifestações populares de repúdio à ocupação soviética se multiplicaram e foram reprimidas com violência.

img_7449

Em 31 de dezembro de 1992, com a dissolução dos laços que uniam tchecos e eslovacos numa federação única, Praga deixou de ser a capital da Tchecoslováquia e passou a ser capital da República Tcheca.

VIAJA DAQUI ou O que fazer em Praga em dois dias:

DIA 1:

Comece pela Torre de PólvoraPrasná Brána e o Teatro Municipal Obecni Dum. É um ótimo ponto para entrar no Centro Histórico e a Torre de Pólvora é imponente. Se quiser, pode comprar ingressos para alguma apresentação que esteja acontecendo, no Teatro Municipal. A Torre e a Porta de Pólvora é uma das primeiras da cidade e começou a ser construída em 1475, sendo posteriormente abandonada. A Torre da Pólvora já apareceu nas Crônicas de Nárnia.

img_6817
Torre de Pólvora

Depois da Torre você já estará na Staré Mesto, a Cidade Velha. Caminhe até chegar na Praça, onde localizam-se os principais pontos turísticos da cidade! Entre eles, a Igreja de São Nicolau; a Prefeitura Antiga; Torre do Relógio; Igreja de Nossa Senhora de Týn; e Orloj, o Relógio Astronômico.

img_6983

img_6992
Praça da Cidade Velha

Ali, na Praça, está a entrada para subir na Torre da Antiga Prefeitura ou Torre do Relógio. Aconselho fortemente que suba, pois a vista lá de cima é incrível e imperdível. Se achar melhor deixar para o fim do dia ou o dia seguinte, está Ok, mas não deixe de ir! Tem até post próprio, clica aqui e sobe lá.

img_7045
Realizando Sonhos! Do alto da Torre da Antiga Prefeitura

Na Praça da Cidade Velha está o famoso Orloj – o Relógio Astronômico de Praga. O Orloj é um relógio astronômico medieval. Ele foi montado na parede sul da Prefeitura Municipal da Cidade Velha, na Praça da Cidade Velha. Pode ser interessante fazer a visita guiada pelo edifício.

O Orloj é composto de três componentes principais: o mostrador  astronômico, representando a posição do Sol e da Lua no céu, além de mostrar vários detalhes celestes. A Caminhada dos Apóstolos, um show mecânico representando cada troca de hora com as figuras dos apóstolos, acompanhados pela Vaidade, Avareza, a Morte e o Turco, que neste caso representa a invasão pagã, melhor dizendo, daqueles que não eram católicos. Também possui um mostrador-calendário com medalhões representando os meses (ou zodíacos, como aparecem em alguns textos)

A parte mais antiga do Orloj, composta pelo relógio mecânico e o mostrador astronômico, foi feita pelo relojoeiro Mikulas de Kadan e Jan Sindel, mais tarde professor de matemática e astronomia da Universidade de Charles, em 1410. Este relógio é o terceiro de seu tipo. O primeiro foi construído em Pádua em 1334.

Existem algumas histórias pouco realistas sobre a construção do relógio astronômico. Por muito tempo, acreditou-se que o Orloj fora construído em 1490 pelo mestre-relojoeiro Hanus e seu assistente Jakub Čech. Outra história fictícia envolve o mesmo Mestre-Relojoeiro. A lenda conta que ele foi cegado para que não pudesse mais construir outro relógio parecido com esse.

img_6979
Orloj – O Relógio Astronômico de Praga

Seguindo pela rua do Relógio Astronômico, você vai chegar na Ponte Karluv Most – a Ponte Carlos V. A Ponte Carlos (em tcheco Karlův most) é considerada uma das Pontes Mais Bonitas da Europa, é também a ponte mais velha de Praga, e atravessa o rio Moldava da Cidade Velha até a Cidade Pequena. É a segunda ponte mais antiga existente na República Tcheca.

Sua construção iniciou-se em 1357 a pedido do rei Carlos IV, e foi finalizada no início do século XV. Sendo ela a única forma de atravessar o rio, a Ponte Carlos se transformou na via de comunicação mais importante entre a Cidade Velha, o Castelo de Praga e as zonas adjacentes até 1841.

Originalmente, esta via de comunicação foi chamada de Ponte de Pedra (Kamenný most) e Ponte de Praga (Pražský most), e sua denominação atual vem desde 1870. Ela está sempre lotada com apresentações, músicos, artistas de rua, mas tome cuidado com punguistas, pois, pelo que li é na Ponte Carlos que eles mais atuam. Você deve passar pela Ponte Carlos algumas vezes e não deixe de ir à Noite para apreciar a cidade e o Castelo iluminados.

img_6936
Karluv Most – A Ponte Carlos

Depois da ponte você já estará no lado do bairro de Mala Strana. Ande até chegar no Muro de Lennon. Em 1980, após a morte de John Lennon, jovens tchecos passaram a pintar e escrever letras do músico e compositor, nesse muro. Após um tempo, o muro passou a ser motivo de raiva para o Regime Comunista de Gustáv Husák, que passou a apagar as pinturas e escrituras. Logo, porém, tudo voltava a ser pintado!!! Hoje, o muro representa uma vitória contra o comunismo e continua recebendo mensagens de Paz e Amor. Deixe a sua mensagem também, a minha já está no Muro.

img_6895

Continue até chegar na Igreja, onde está o Menino Jesus de Praga. A imagem é pequenina, ao contrário de sua fama, que é imensa. Vai lá conferir a famosa estátua na Igreja de Nossa Senhora Vitoriosa, em tcheco Klášter Pražského Jezulátka.

Acredita-se que a imagem tenha sido esculpida no século XVI na Espanha, em um mosteiro entre Córdoba e Sevilha, como uma cópia de uma outra estátua do local. Ali foi adquirida por Doña Isabela Manrique de Lara y Mendoza, que a deu como presente de casamento à sua filha Maria Manrique de Lara, quando esta desposou o nobre checo Vojtech de Pernstejn. Mais tarde a imagem foi transmitida à geração seguinte também como dote de casamento, quando sua filha Polyxena casou-se em primeiras núpcias com Vilem de Rozumberk. Permaneceu na posse de Polyxena até sua morte, quando foi doada aos Carmelitas Descalços de Praga, sendo instalada no oratório do seu mosteiro, onde recebia homenagens especiais duas vezes ao dia.

Com a eclosão da Guerra dos Trinta Anos as devoções foram suspensas, e em 15 de novembro de 1631 as tropas de Gustavo Adolfo da Suécia tomaram as igrejas da cidade. O mosteiro foi saqueado pelos soldados protestantes e a imagem do Menino Jesus foi lançada em um monte de entulho detrás do altar. Ali permaneceu até ser reencontrada em 1637, com os braços quebrados. Depois de seu restauro foi reentronizada e voltou a receber a devoção dos fiéis, sendo coroada pelo Bispo de Praga em 1655, evento que é relembrado anualmente por uma missa festiva no dia da Ascensão. Rua Karmelitska, 9.

img_6868

img_6860
Menino Jesus de Praga

Nesse ponto, você vai descobrir se está cansado ou se vai continuar!

Se for continuar, para o próximo ponto que sugiro, a Casa Dançante, decida se quer ir de táxi ou a pé. O passeio a pé é muito bonito e interessante! Mas para fazer o caminho ideal, tens que voltar até a Ponte Carlos (não a atravesse. Deixe para atravessar o rio, em outra ponte, mais a frente). Para fazer esse caminho, passe de novo pelo Muro de Lennon e quando chegar na entrada da ponte, onde tem umas barraquinhas de comidas, aproveite e faça seu almoço/lanche aqui. De lá, você vai andar beirando o rio. Irá atravessar um Parque, chamado Kampa, parar para um café, relaxar e apreciar a vista. Tem um post exclusivo desta caminhada, basta clicar aqui.

A Casa Dançante nem é imperdível, mas o passeio compensa.

A Casa Dançante ou Prédio Dançante (em tcheco Tančící dům) ou Fred & Ginger é um prédio de escritórios no centro de Praga. Ela foi desenhada pelo arquiteto Vlado Milunić, em cooperação com o arquiteto canadense Frank Gehry em uma área ribeirinha vazia na qual havia um prédio que foi destruído durante o Bombardeio de Praga, em 1945.

img_6917
Onde almoçamos/lanchamos. O caminho para a Casa Dançante segue por trás das árvores. Foto tirada da Ponte Carlos.
img_6906
Trdelnik – Tradicional Pão Doce de Praga
img_7367
Descanso pós almoço

img_7370img_7399img_7409

img_7419
Acima, o caminho até aqui, a Casa Dançante.

Encerra-se aqui, o roteiro que sugiro para o primeiro dia. Não subiu a Torre da Prefeitura? Ainda dá tempo? Vai lá, então! 🙂

 

Dia 2:

No segundo dia vá direto visitar o Hradcany – O Bairro do Castelo e o Prazski Hrad – O Castelo de Praga. Hradcany é o bairro que abriga o Castelo de Praga, e o Castelo de Praga que trata-se, na verdade, de um complexo chamado Praszki Hrad, com nada menos do que 70.000m². O Castelo de Praga está no Guiness Book como O Maior Castelo do Mundo!!!

img_7223img_7225

Quando for ao Praszki Hrad, tenha cuidado com as expectativas, pois, ele lembra pouco o formato de Castelo que costumamos imaginar, pois trata-se de um conjunto de construções que formaram esse grande complexo, chamado Castelo de Praga. É como se fosse uma cidade independente.

img_7275img_7255

Dentro do Prazsky Hrad, as construções mais importantes são: a impressionante Catedral de São Vito (Katedrála sv. Víta), linda e imponente; o Palácio Real, residência oficial de reis e presidentes, onde hoje funciona o centro do poder político da República Tcheca; o Starý královský palác, antigo Castelo de Praga; o 1º Nádvoří (Primeiro Pátio); o 2º Nádvoří (Segundo Pátio); o 3º Nádvoří (terceiro Pátio); a Porta de Matthias (que liga o Primeiro e o Segundo Pátio); a Bazilika sv. Jiří (Basílica de São Jorge); o Jiřský klášter (convento de São Jorge junto com a basílica); o Lobkowiczký palác (palácio Lobkowiczký) e a linda Zlatá ulička, mais conhecida como a Viela Dourada. Nesta Viela Dourada, estavam localizadas as casas dos artesãos e militares que guardavam o castelo. As casas da rua foram construídas no século XVI e hoje estas casas maravilhosas e pequenas abrigam museus e lojas de comércio.

img_7282img_7301img_7326img_7342

Se chegar por volta das 9h, no Castelo, lá pelas 13h, já vai ter descido o morrão. Ou seja, tempo livre para escolher o que quer fazer. Se não subiu na Torre do Relógio, no primeiro dia, volta lá e sobe! Eu sei que insisto na Torre…hehe… ! Você também pode ir no Museu de Franz Kafka, que fica logo ali perto da parte baixa do Castelo, antes de chegar na Ponte Carlos. O endereço do Museu de Franz Kafka é Cihelna, 635, Mala Strana. Pode ir ao Bairro Judeu, visitar a interessante Sinagoga Espanhola. Tem também o famoso Museu da KGB, na Vlasská, 591/13. Ou pode, simplesmente, andar sem rumo pela Cidade Velha.

Veja outros posts que têm tudo a ver com Praga:

PRAGA VISTA DE CIMA

U-SUDU, UM BAR SUBTERRÂNEO EM PRAGA

UM LINDO PASSEIO ATÉ A CASA DANÇANTE DE PRAGA

Gostou? Tem dúvidas, dicas, elogios ou críticas? Por favor, deixa pra gente nos comentários. Obrigado de coração pela visita no Viaja Daqui.

Anúncios

15 comentários sobre “Praga é Linda e Simpática

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s