São João del Rei e suas Igrejas

São João del Rei

São João del Rei serviu de base em nossa viagem à esta bela região do Brasil. Inicialmente, ficaríamos em Tiradentes, mas, o custo mais elevado e o fato de estarmos com um grupo, nos levou a optar por esta cidade que nos permitiu encontrar com facilidade um hotel que acomodasse quarenta pessoas! Isso aí, quarenta, num ônibus exclusivo, que saiu na sexta pela manhã, do Rio, retornando no domingo após o almoço.

A escolha se mostrou excelente, pois além da cidade ser bem bacana e com muitas atrações históricas e restaurantes, nosso hotel ficava próximo de tudo.

IMG_3837

Aproveitamos bem a cidade e ainda fomos duas vezes à Tiradentes de ônibus, além da visita ao vilarejo do Bichinho! Planejamento é tudo, amigos e amigas!!!

Localizado no Campo das Vertentes, São João del Rei, pertence ao estado de Minas Gerais. Cidade Setecentista, foi fundada por bandeirantes paulistas, sendo Tomé Portes del Rei, considerado seu fundador.

 

A cidade é bem mais agradável do que achei que seria. Ficamos bem no Centro Histórico, de onde fazíamos tudo a pé.

O mais legal são suas Igrejas! Lindas!!! Em um circuito em passo leve, você pode visitar cinco de suas principais Igrejas, em cerca de duas horas. Contratamos um guia para o grupo e todos gostaram.

Na página do VIAJA DAQUI, no facebook, tem um vídeo que fiz durante uma caminhada, num domingo de manhã, pelas Igrejas de São João del Rei.

De São João del Rei, visitamos Tiradentes em duas ocasiões. A primeira na noite de sexta-feira e, a segunda, indo de Maria Fumaça, às 10h, voltando às 17h, de sábado. Por falar no passeio de Maria Fumaça, está aí outra atração que esperava bem menos e me amarrei, assim como todo mundo que foi! A Maria Fumaça está entre as atrações imperdíveis de São João e Tiradentes, na minha opinião, não deixe de ir.

IMG_3989

São João del Rei possui grande variedade arquitetônica, não se restringindo ao Barroco. Também é conhecida por ser uma cidade universitária, contando com um grande número de repúblicas estudantis.

Nasceram, em São João del Rei, brasileiros famosos, como o presidente eleito do Brasil Tancredo Neves, o Cardeal Dom Lucas Moreira Neves, Otto Lara Resende, Padre José Maria Xavier – compositor sacro – Francisca Paula de Jesus – a “Santa” Nhá Chica, que está em via de ser canonizada pelo Vaticano, dentre outros.

São João del Rei é a cidade que cresceu, comparativamente à Tiradentes, contando com 88.000 habitantes contra 7.000 da vizinha menor.

IMG_3940
São João by Night

Talvez achem o post grande e monótono, até tentei resumir bastante, mas, a cidade de São João del Rei tem uma rica e importante História, assim peço que leiam pacientemente sua História ou se querem saber apenas o que tem de bom para fazer, pulem direto para a parte “VIAJA DAQUI ou O que fazer em São João del Rei, mais abaixo.

Até a chegada dos bandeirantes, no século XVI, o sul de Minas era habitado pelos índios puris.

A ocupação pelos europeus começou desde pelo menos 1701, quando Tomé Portes del Rei se estabeleceu na região.

Com a descoberta de Ouro, as terras são distribuídas visando à exploração do ouro de aluvião às margens do ribeirão.

Como outros arraiais mineradores, o povoado surge a partir de uma capela, neste caso, erguida em devoção a Nossa Senhora do Pilar, ao redor da qual vão se fixando bandeirantes e aventureiros, que chegam à região atraídos pelo ouro. As casas de Taipa são edificadas e, aos poucos, novas capelas e moradias vão formando outros aglomerados urbanos.

IMG_3957

As rivalidades e a disputa pela posse geram conflitos permanentes, que culminam na Guerra dos Emboabas. Eram chamados emboabas os que não haviam nascido na Capitania de São Vicente e que, para os paulistas, não deviam receber terras na região das minas. Assim, entre 1707 e 1709, paulistas revoltam-se contra os “forasteiros”, chamados por eles de “emboabas”, em sua maioria portugueses e indivíduos oriundos de outras capitanias da América portuguesa, que, liderados pelo comerciante Manuel Nunes Viana, saem vitoriosos do movimento.

IMG_3960
Lifestyle de São João del Rei. 🙂

Já bastante próspera, em 1713 a localidade é elevada a Vila e recebe o nome de São João del Rei em homenagem a Dom João V, rei de Portugal e Tomé Portes Del Rei. Desde os tempos de sua formação, desenvolve-se aí uma vasta produção mercantil e de gêneros alimentícios, movida a trabalho escravo e resultante tanto da atividade agrícola quanto da pecuária. Essas características vão possibilitar o contínuo crescimento da localidade, que não sofre grandes perdas com o declínio da atividade aurífera, verificado em toda a Capitania das Minas Gerais a partir de 1750.

Nessa época, a crise do sistema colonial agrava-se. A exploração do ouro entra em franca decadência, porém a Coroa Portuguesa continua a exigir pesados impostos da população. Essa situação conflitante faz crescer o nível de consciência de setores intermediários da sociedade, levando padres, militares, estudantes, intelectuais e funcionários das principais vilas mineiras, como São João del Rei e Vila Rica, a conspirar contra a metrópole.

Em poucos anos, o movimento conhecido como Inconfidência Mineira toma corpo e ganha adeptos em cada arraial e vila da Capitania das Minas Gerais.

IMG_3928

Devido à vocação comercial de São João del Rei, a sua feição colonial não é a mesma das demais vilas mineradoras da época. Já em princípios do século XIX, ela se mostra amadurecida comercialmente. Em 1838, a Vila de São João del Rei torna-se cidade. Nessa época, possuía cerca de 1 600 casas, distribuídas em 24 ruas e 10 praças..

São João del Rei continuou a crescer comercial e industrialmente, sendo cogitada até para ser a capital Mineira.

Em 1943, seu acervo arquitetônico e artístico, composto por importantes edificações civis e religiosas, é tombado pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – SPHAN.

VIAJA DAQUI ou O que fazer em São João del Rei:

O mais legal de São João del Rei, são suas Igrejas, depois a arquitetura e o caminhar por suas ruas históricas, com bares e restaurantes que funcionam dia e noite.

Você pode começar sua caminhada de um lado ou outro, faça sua escolha, mas, lembre que a maioria das visitas guiadas no interior das Igrejas se encerram às 17h, e vale a pena fazer a visita com um guia, viu? Olha que não sou fã de visitas guiadas, mas, em São João del Rei, tive que dar o braço a torcer, admitindo que nosso guia Ricardo deu uma aula para todos nós.

IMG_3841IMG_3877IMG_3844

IMG_3848IMG_3853

IMG_3882
Igreja de São Francisco de Assis. Seu interior é Imperdível

Começe pela Igreja de São Francisco de Assis, sem dúvida a que mais me marcou e chamou a atenção! Imensas e lindas obras em madeira. Foi muito bacana e estive nela duas vezes, além de passar em frente à noite. Templo Católico fundado pela “Venerável Ordem Terceira de São Francisco de Assis”. A igreja, começada em 1774, é um dos principais marcos da arte colonial brasileira, tornando-se famosa pela beleza de sua arquitetura, pela riqueza de sua talha e pela participação nas obras do mestre Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, autor do projeto, mais tarde modificado por Francisco Cerqueira. Devido à sua importância, a igreja foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, junto com todo o seu acervo.

Existem lendas desta Igreja e uma conta que certa ocasião um dos sineiros foi morto quando executava o seu trabalho, atingido na cabeça pelo pesado sino em movimento. A lenda acrescenta que o sino chegou a ser removido do campanário, preso e açoitado pelo crime que “cometera”, mas essa narrativa não parece ter fundamento histórico, embora fosse sim um costume retirar o badalo do sino e acorrentá-lo temporariamente quando seu operador morria em atividade.

IMG_3866

IMG_3869
Túmulo de Tancredo Neves e sua Esposa Risoleta Neves
IMG_3873
Cemitério da Ordem Terceira

No fundo desta capela, no Cemitério da Ordem Terceira está sepultado o ex-presidente Tancredo Neves e sua esposa Dona Risoleta Neves.

Tradição em São João del Rei, o toque diferenciado dos sinos é antiquíssima, a cidade ganhou fama por isso, São João del Rei é a cidade “onde os sinos falam”. Tive a oportunidade de ouvir vários dos sinos das principais Igrejas da cidade, do alto do terraço de nosso hotel, na manhã de domingo.

IMG_3900IMG_3899

Siga para a próxima igreja pela rua Padre José Maria Xavier, por ali verá velhos casarios bem preservados e irá passar pelo Memorial Tancredo Neves, que está localizado, logo antes da Ponte do Rosário. Quando passamos estava fechado, mas do lado de fora tem uma estátua do ex-presidente, que merece uma foto daquelas que a gente finge que está batendo um papo com uma estátua… Sei que o Memorial possui nove salas de exposição que reconstituem toda a vida do ex-presidente, desde sua infância até sua morte, em 1985

Atravesse a Ponte do Rosário, uma das duas pontes de pedra da cidade e rume para a sequencia de Igrejas que vem em seguida! Não achei as fotos dela, uai!

IMG_3909
Nossa Senhora do Rosário e o Solar de Tancredo à direita.

A começar pela Igreja de Nossa Senhora do Rosário! A mais antiga construção religiosa de São João del Rei, quando São João ainda era um arraila. Iniciada em 1719 pela Irmandade de Nossa Senhora do Rosário e São Benedito dos Homens Pretos.

Em 1936, a fachada que possuía apenas uma torre que ameaçava cair foi modificada, construindo-se mais duas torres.

IMG_3907
Solar de Tancredo Neves

Do lado direito da Igreja, está o Solar de Tancredo Neves, onde viveu o ex-presidente da República.

IMG_3910IMG_3916IMG_3917IMG_3921IMG_3922

IMG_3920
Catedral Basílica Nossa Senhora do Pilar

Seguindo pela rua chegará logo, na bela Catedral Basílica Matriz de Nossa Senhora do Pilar. Como o guia nos ensinou, sempre que houver um “Cordeiro”, na fachada da Igreja ou no Altar Mor, está será a Matriz da cidade mineira, em questão.

A Basílica do Pilar se destaca pela sua suntuosa decoração interna, que em linhas gerais ficou a salvo das renovações neoclássicas que afetaram principalmente a fachada, preservando suas feições originais, que transitam do Barroco Joanino ao Rococó.

A Catedral Basílica de Nossa Senhora do Pilar, também conhecida como Matriz de Nossa Senhora do Pilar, é a sede da Diocese de São João del Rei. É, também um grande representante da arte colonial brasileira, contendo rica decoração em talha dourada, pinturas e estatuária, sendo tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN.

A história da Basílica está intimamente ligada à história da cidade que se inicia em princípios do século XVIII, quando foi levantada entre 1703 e 1704 uma capela de taipa coberta de palha no alto do Morro da Forca dedicada à Virgem do Pilar. Em torno desta capela, a primeira do povoado, formou-se um arraial. Em 1709 esta capela foi incendiada durante a Guerra dos Emboabas.

Poucos anos mais tarde a Irmandade do Santíssimo Sacramento, fundada em 1711 e reservada aos homens brancos mais abastados da povoação, desejou erguer novo templo para substituir a capela primitiva que fora destruída.

Mais tarde, no início do século XIX, diante do crescimento da vila e do aumento do número de devotos, a Irmandade resolveu realizar uma grande reforma para ampliação do templo, que já tinha o estatuto de Matriz.

Em 1954 a imagem de Nossa Senhora do Pilar foi solenemente coroada com autorização do papa Pio XII, que a proclamou Padroeira da Cidade e do Município de São João del Rei.

IMG_3924
Subida para a N.S. das Mercês, colada à N.S. do Pilar
20151122_081142
Igreja Nossa Senhora das MercÊs

Depois da visita à Basílica, você tem que analisar sua disposição física, porque para ir à Igreja Nossa Senhora das Mercês, você vai ter que subir um cadiquinho e depois voltar! Ela fica atrás da Basílica, no alto de um morro. Se estiver na cidade, cogite ir até ela à noite. A iluminação da Igreja e a vista da cidade, fazem valer a pena uma visita noturna. É o que dizem e deve ser verdade mesmo!

IMG_3927

IMG_3928
Quem foi até o fim do passeio!
IMG_3929
Igreja de Nossa Senhora do Carmos, igual, mas menor, que a de São Francisco de Assis
IMG_3935
Construção típica na esquina

Finalize seu tour pela cidade na Igreja de Nossa Senhora do Carmo uma das principais Igrejas Coloniais de São João del Rei, é praticamente uma cópia da São Francisco de Assis.

Esse eu perdi, mas seguem as dicas de minhas pesquisas, espero que consigam aproveitar o Museu de Arte Sacra, instalado no prédio da antiga cadeia da cidade, o museu abriga acervo de 450 objetos.

20151121_174048
O passeio de Maria Fumaça para Tiradentes é Show!!!

Muita coisa para escrever e falar de São João del Rei! Espero que aproveitem para comentar só um cadiquinho ou tirar suas dúvidas na caixa de comentários!

Quer ter esse roteiro com Mapas e endereços? Solicite pelo email viajadaqui@gmail.com

Veja os posts que têm tudo a ver:

TIRADENTES

RESTAURANTE TEMPERO DA ANGELA

MUSEU DO AUTOMÓVEL DA ESTRADA REAL

BICHINHO

CHICO DOCEIRO

Gostou? Foi Útil? Deixa seus comentários pra gente?

Anúncios

9 comentários sobre “São João del Rei e suas Igrejas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s