Kyoto, a Cidade dos Samurais

Fundada no Século I, foi a Capital do Japão Imperial até 1868, quando a Capital do país passou a ser Tókio. Com uma População estimada em 1.500.000 de habitantes forma, junto de Osaka e Kobe, uma área metropolitana conhecida como Keihanshin, com mais de 18.600.000 habitantes (em 2010), sendo a Segunda Maior Região Metropolitana do Mundo, atrás apenas da Grande Tóquio, que possui aproximadamente 37.000.000 de habitantes.

Foi conhecida em outros tempos como Meaco, em japonês Miyako, que significa Capital. Hoje, costuma ser chamada de “Velha Capital”, “Capital de Mil Anos” e “Cidade dos Samurais”.

Apesar de ocupada há muitos e muitos anos, foi só no século VI que surgiu seu primeiro registro, quando lá foi construído o Santuário de Shimogamo.

A cidade sofreu grande destruição durante a Guerra de Ônin (aqui), uma Guerra Civil que foi de 1467 a 1477. Após a destruição a Cidade só foi se recuperar no século XVI, quando uma nova administração fez ressurgir a cidade, dobrando suas ruas e criando muralhas.

Em 1864 uma Rebelião (Hamaguri) queimou muitas Casas. Com ela o Imperador se mudou para Tóquio (também escrita como Tókio e Tokyo), em 1869, enfraquecendo a Economia local.

A Kioto Moderna começou a se formar em 1889, com a construção do Canal do Lago Biwa. Em 1932, a população da cidade já passava de 1.000.000 de habitantes.

Durante a Segunda Grande Guerra Mundial, os Americanos pensaram em lançar uma Bomba Atômica em Kioto, por ser o Centro Intelectual do Japão e por ter moradores o suficientes para persuadir o Imperador a se render. O uso da Bomba Atômica, aliás, teve esse motivo, a Rendição dos Japoneses, pois, a luta na Europa havia encerrado, mas os Japoneses não queriam sair da Guerra. No fim das contas mudaram o destino desta Bomba para Nagazaki.

Kyoto - Japao - 2019 (12) Continuar lendo “Kyoto, a Cidade dos Samurais”

O Templo dos 2000 Toris, Fushimi Inari-Taisha

Apesar de fazer parte de Kioto, o Templo Fushimi Inari-Taisha merece um post exclusivo por dois motivos: 1) Precisa fazer um Bate-Volta, pegando trem em Kioto. Num bate-volta de dia inteiro também é possível incluir Nara no mesmo dia; 2) Ele é um Templo incrível demais com uma super peculiaridade, que é um imenso túnel de Toris, são mais de 2000. É INCRÍVEL! UMA AVENTURA BEM DIVERTIDA!

São quatro quilômetros de trilhas pela montanha. Como eu fui para Nara no mesmo dia, andei por cerca de meia hora pelos Toris e voltei. Dá para passar uma manhã ou tarde inteirinhas por lá! E vale a pena, viu?

Inari: Deus do Arroz.

Tori: Portão Tradicional Japonês ligado a Religião Xintoísta com o objetivo de mostrar a entrada ou proximidade de um Santuário. Saiba mais sobre Tori aqui.

Xintoísmo: Podemos dizer que é a Espiritualidade Tradicional do Japão. Vem de muito antes do surgimento do Budismo. Este é um assunto que prefiro não me aprofundar porque é muito fácil passar alguma informação errada. Para procurar entender melhor sobre o Xintoísmo clica aqui.

História do Fushimi Inari-Taisha: aqui.

Fushimi Inari - Japao - 2019 (12)Fushimi Inari - Japao - 2019 (4) Continuar lendo “O Templo dos 2000 Toris, Fushimi Inari-Taisha”